Arquivo da tag: Arte rupestre

Homo sapiens no centro da América do Sul

Sítio perto de Cuiabá indica presença do homem há 27 mil anos em Mato Grosso

Por MARCOS PIVETTA | ED. 259 | SETEMBRO 2017. Fonte da Revista Pesquisa FAPESP.

Distante cerca de 80 quilômetros (km) a noroeste de Cuiabá, o município mato-grossense de Jangada está colado ao centro geográfico da América do Sul. Para qualquer lado que se ande, a visão do oceano, seja o Pacífico ou o Atlântico, somente aparece depois de percorridos ao menos 1.500 km. Nessa porção do Cerrado, a vegetação é mais densa e a serra das Araras, com altitudes entre 500 metros (m) e 800 m, pontua a paisagem.

Em um abrigo sob rochas de difícil acesso, situado em um vale na parte sudeste da cadeia de montanhas, dois paredões calcários preservam um pedaço pouco conhecido da pré-história do Brasil e das Américas.

Pintura rupestre de um dos 170 sítios pré-históricos da Cidade de Pedra, perto de Rondonópolis. (Reprodução do Livro Pré-História de Mato Grosso – VOL. 2) Continue lendo Homo sapiens no centro da América do Sul

Abrigos do Rio Pitangui I e II – Ponta Grossa PR

Por: www.grafismorupestre.com

Estes são dois abrigos com pinturas rupestres localizados à margem esquerda do Rio Pitangui em Ponta Grossa no Paraná.

O Abrigo do Rio Pitangui I possui pinturas rupestres nas paredes das rochas a céu aberto, principal motivo para estarem bastante degradadas pela ação do tempo.

Já, o Abrigo do Rio Pitangui II localiza-se em uma pequena lapa no conjunto rochoso acima da estrada, possui apenas uma pequena pintura no teto melhor preservada por estar protegida sob a lapa.

Localização dos abrigos do Rio Pitangui - Abrigo do Rio Pitangui I fica no conjunto rochoso abaixo da estrada. Abrigo do Rio Pitangui II fica acima da estrada.

Figura 1 – Localização dos abrigos do Rio Pitangui – Abrigo do Rio Pitangui I fica no conjunto rochoso abaixo da estrada. Abrigo do Rio Pitangui II fica acima da estrada.

Continue lendo Abrigos do Rio Pitangui I e II – Ponta Grossa PR

Sem dinheiro para manter parque, juiz define verbas para Serra da Capivara

Publicado no portal: G1 Globo.com do Piauí.

O juiz federal Pablo Baldivieso determinou nessa quarta-feira (24) que a União, Ibama e Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) repassem R$ 4.493.145 para que seja feita a manutenção e conservação do Parque Nacional da Serra da Capivara, na região Sul do Piauí.

Além da destinação de recursos …… Continue lendo no Portal G1 da Globo.com – Piauí

À V.Exa. Senhor Ministro da Cultura Juca Ferreira

Petição à V.Exa. o Senhor Juca Ferreira, Ministro da Cultura: Salve o Parque Nacional da Serra da Capivara e suas pinturas milenares!

Criado por: Alice de C.Brasil

Assine agora: Clique aqui para ir à Petição Online na AVAAZ.ORG

Por que isto é importante?
São cerca de 130 mil hectares com mais de mil grupos de pinturas rupestres, além de sítios com resquícios de aldeias pré-históricas ou até mesmo de importância paleontológica.
O Parque Nacional da Serra da Capivara, no Piauí, reúne uma das maiores concentrações de tesouros arqueológicos do mundo, sendo local de descobertas que desafiam boa parte do que se sabe sobre o início da ocupação das Américas.

Continue lendo À V.Exa. Senhor Ministro da Cultura Juca Ferreira

Formas Geométricas no Abrigo da Pedra do Índio

Por: www.grafismorupestre.com

A arte rupestre pré-histórica foi elaborada sobre três temas principais:

– Figuras geomorfas ou figuras geométricas.

– Figuras antropomorfas ou as figuras humanas.

– Figuras zoomorfas ou as figuras de animais.

No caso das figuras geométricas elas podem conter resumidamente segundo PARELLADA (2009) vários tipos de sinais:

Os sinais são representações geométricas, não importando o significado. Existem sinais elementares, como os pontos, traços, barras, e os sinais elaborados, feitos a partir da reunião de um conjunto de sinais simples.“

Na Figura 1, veja a foto do único painel existente no abrigo (cujo contraste foi alterado para melhorar a visualização das imagens) e nas figuras 2 e 3 detalhes de partes do painel.

Figura 1: Desenhos geométricos no Abrigo da Pedra do Índio – Extrema – Minas Gerais. Foto: Jean Marie Polli, 2011. A foto foi modificada para melhorar o contraste.

Figura 1: Desenhos geométricos no Abrigo da Pedra do Índio – Extrema – Minas Gerais. Foto: Jean Marie Polli, 2011. A foto foi modificada para melhorar o contraste.

 Figura 2: Detalhes de dois dos desenhos geométricos no Abrigo da Pedra do Índio – Extrema – Minas Gerais. Foto: Jean Marie Polli, 2012. A foto foi modificada para melhorar o contraste.

Figura 2: Detalhe de um dos desenhos geométricos no Abrigo da Pedra do Índio – Extrema – Minas Gerais. Foto: Jean Marie Polli, 2012. A foto foi modificada para melhorar o contraste.

Figura 3: Detalhe de outra parte dos desenhos geométricos no Abrigo da Pedra do Índio – Extrema – Minas Gerais. Foto: Jean Marie Polli, 2012. A foto foi modificada para melhorar o contraste.

Figura 3: Detalhe de outra parte dos desenhos geométricos no Abrigo da Pedra do Índio – Extrema – Minas Gerais. Foto: Jean Marie Polli, 2012. A foto foi modificada para melhorar o contraste.

Como podemos observar no desenho da Figura 4, o Abrigo da Pedra do Índio em Extrema (MG) possui representações apenas de figuras com sinais abstratos, os leitores podem conferir que as pinturas rupestres do abrigo podem ser classificadas como geométricas, pois podemos perceber que a maioria é constituída de traços, barras e círculos interligados para formar figuras elaboradas complexas.

Figura 4: Desenhos das formas geométricas encontradas no Abrigo da Pedra do Índio – Extrema – Minas Gerais.

Figura 4: Desenhos das formas geométricas encontradas no Abrigo da Pedra do Índio – Extrema – Minas Gerais.

Fica a cargo do leitor, imaginar e comentar o que acha que cada figura no desenho acima pode representar, e fazer suposições sobre o que nossos ancestrais realmente estavam representando.

Deixe seu comentário!

Referências

PARELLADA, C.I. Arte Rupestre no Paraná: memória, presença, horizontes. Revista Cient. / FAP, Curitiba, V.4, n.1, p.1-25, 2009.

PEREIRA, M. M. 2007. Filiação das pinturas rupestres do sítio arqueológico da Toca do Índio – Andrelândia, Minas Gerais. São João Del-Rei, UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI, CURSO DE HISTÓRIA, Monografia para Bacharelado em História, 57p.

Este material é protegido pelas leis de direitos autorais. Ele não pode ser copiado por qualquer meio para fins comerciais, sem prévia autorização. Se deseja usá-lo para fins acadêmicos, veja como citar este artigo: 

GRAFISMORUPESTRE.COM. Formas Geométricas no Abrigo da Pedra do Índio. Disponível em: www.grafismorupestre.com; Acessado em: xx/xx/xxxx.

Para fotografias:
Nome da fotografia. Fonte: www.grafismorupestre.com.