O Cacto Bola

Por: www.grafismorupestre.com

A beleza do relevo, das formações naturais ou dos sítios arqueológicos não são as únicas razões para que tenhamos a consciência e atitude preservacionista destes locais.

Figura 1 – Cacto Bola camuflado pelo capim, trilha do Abrigo Usina São Jorge, Ponta Grossa, Paraná, Brasil. Fotografia: Cristiano Gonçalves, 2009.

Podem existir também espécies raras tanto da fauna quanto da flora, que precisam de proteção e cuidados durante a visitação para que sejam minimizados os impactos muitas vezes irreversíveis. No caso do Paraná, os Campos Gerais é a única região que possui uma espécie endêmica do Cacto Bola adaptada sobre as formações de arenitos. Essa variante exclusiva de nossa região é a cactaceae Parodia ottonis var. villa-velhensis (nome complicado e dado por ter maior ocorrência na região do Parque Estadual de Vila Velha).

Esses cactos ficam lindos quando possuem flores, prometemos postar fotos dos mesmos quando os encontrarmos floridos.

Mas estou escrevendo aqui sobre ele para alertar a respeito da preservação do mesmo e para evitar que os leitores que também fazem suas caminhadas sintam a dor que eu senti. Bom, eu estava sentado sobre um arenito de mais ou menos um metro de altura, descalço para descansar os pés após uma longa caminhada; então resolvi pular para ver algo que tinha se movido no capim à frente. Para meu azar pulei sobre um aglomerado de Cactos Bola que estava camuflado pelo capim, foram fincados mais ou menos 30 espinhos nos meus pés! Confesso que não foi a maior dor que já senti mas não foi nada agradável.

Ai estão dois erros meus, estar descalço e ter amassado um aglomerado de cactos raros como essa variedade. O conselho é o seguinte: usem sempre calçados de preferência botas adequadas para caminhadas e observem atentamente a vegetação para evitar danificá-la, e nunca mas nunca mesmo ao menos cogite retirar qualquer espécime de seu habitat natural! Com pequenas ações você pode ajudar a sobrevivência da beleza e raridade dessas espécies.

Figura 2 – Cactos Bola infelizmente sem flores, trilha do Abrigo Usina São Jorge, Ponta Grossa, Paraná, Brasil. Fotografia: Cristiano Gonçalves, 2009.
Figura 3 – Cactos Bola, capim e liquens sobre rocha, trilha do Abrigo Usina São Jorge, Ponta Grossa, Paraná, Brasil. Fotografia: Cristiano Gonçalves, 2009.
Este material é protegido pelas leis de direitos autorais. Ele não pode ser copiado por qualquer meio para fins comerciais, sem prévia autorização. Se deseja usá-lo para fins acadêmicos, veja como citar este artigo: 

GRAFISMORUPESTRE.COM. O Cacto Bola. Disponível em: www.grafismorupestre.com; Acessado em: xx/xx/xxxx.

Para fotografias:
Nome da fotografia. Fonte: www.grafismorupestre.com.

REFERÊNCIAS:

SCHWARTSBURD, B. P. Pteridófitas do Parque Estadual de Vila Velha, Paraná, Brasil. Dissertação de mestrado. Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 161 p, abr. 2006. Disponível em: http://dspace.c3sl.ufpr.br/dspace/bitstream/1884/4721/1/Microsoft Word – Pedro Bond Schwartsburd.pdf; Acessado em: 20/02/2010.

 

2 comentários sobre “O Cacto Bola

  1. Bela reportagem acerca dessa cactácea…
    Por certo você saberia me dizer qual agente polinizador atua nessa planta?
    Tenho pesquisado acerca dessa planta e me parece que tem uma distribuição ampla nos Campos Gerais. Por isso não entendo como ela aparece em risco (VU) no livro vermelho. Sei que muitas áreas tem dado lugar as pastagens e residências, mas mesmo assim ainda se encontra bem protegida e com população estável dentro das áreas de conservação ambiental.
    No mais obrigado pela atenção….

    1. Caro JEFFERSON, infelizmente não tenho informações sobre o agente polinizador dessa planta.
      Muito obrigado pelo interesse em nosso site!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *